2022-09-17 Ruta do rio Gorgua - Padrenda

Padrenda é um município de Ourense que faz fronteira com Portugal a sul e a norte, separado pelo vale do Minho da província de Pontevedra. As suas fronteiras pertencem á região de Terras de Celanova.

Grande parte do município é representado por extensas e altas montanhas onde convergem grandes cadeias de montanhas, como Serra da Basteira, Aguilhão do Castelo, Caíño e Laboreiro já em Portugal. O rio Gorgua, às vezes é conhecido como Rego do Páteu, nasce um pouco acima de mil metros na primeira das montanhas enunciadas, muito perto da fronteira com Portugal e o município de Quintela de Leirado de Ourense.

Este bonito percurso começa em Freáns e percorre um estreito e frondoso vale com uma floresta exuberante composta de alguns gigantes castanheiros, carvalhos, amieiros, salgueiros, azevinhos, Loureiros, freixos, faias etc... musgos e fetos e muitas mais espécies na sua máxima expressão de verdura. Corre na direção noroeste, em direção à pequena localidade de Gorgua, que lhe dá o nome. Nome que poderá derivar de algum nome de lugar celta ou germânico, com alguma referência à superfície da água. O Gorgua dá as suas águas ao Deva ou Rio Grande, que é um afluente do rio Minho.

Ao longo do percurso que vai sempre subindo, ás vezes bruscamente, sempre paralelo ao rio que nos vai presenteando aqui e ali  com sucessivas quedas de água (fervenzas) e a exuberância da vegetação com o “marulhar” do som do rio sempre presente. Aqui e ali algum velho moinho vestido de musgo, aparece camuflado por entre o verde da vegetação.

Continuamos por velhos caminhos que foram servidão, sempre subindo, os mosquitos também nos acompanham em grande quantidade, estamos no seu habitat, presenteando-nos com o seu incómodo. Cerca dos 4 km atingimos a aldeia de Gorgua cruzando-a. Após breve descanso e continuando logo aumenta a pendente, sempre através de luxuriante floresta atingindo o ponto mais elevado do nosso percurso com a cota de 800m (havia-mos começado na cota dos 300m).

Vamos iniciar agora a descida invertendo o sentido da marcha, abandonando a Corga do Gorgua em direção da Corga da Codeseira. A vegetação em breve começa a perder a frondosidade e a nossa vista se abre em direção das serranias em volta.

Em breve chegamos ao pequeno lugar de Quinta onde a maioria das casas se encontra abandonadas e em ruínas. Umas escadas levam-nos até ao alto de um miradouro, o miradouro de Quinta, a cerca de 700 m. de altitude. Um bonito lugar onde no seu cimo pudemos fazer o almoço e espraiar a vista pelas serras galegas e portuguesas, onde nas suas encostas salpicam pequenos lugarejos entre o arvoredo.

Passando pela Chão do Crego logo atingimos Monterredondo, lugar já bastante mais grande com mostras de arquitetura rural com alguns espigueiros (hórreos) razoavelmente adornados.

Por um caminho asfaltado chegamos ao lugar de Lapiñeiras colocado na encosta, descendo novamente, algumas vezes procurando marcas do trilho, chegando finalmente a Freáns e ao ponto onde haviamos começado.

Colocada a escolha de fazer um pouco mais de outro percurso que começava neste local ou irmos visitar o marco nº.1 de Portugal em Cevide a escolha foi unânime na visita ao marco do ponto de terra mais a norte de Portugal.

Já em Portugal e chegados ao centro de Cevide, estacionadas as viaturas fomos realizar um pequeno percurso que primeiro através de um passadiço nos levou ao marco nº. 1 colocado na foz do rio Trancoso, local aproveitado para fazer mais uma foto de grupo sobre a ponte que liga Portugal a Espanha. Já no lado espanhol fomos ver a pequena praia fluvial no troço de confluência do rio Minho com o Trancoso. Já no lado espanhol seguimos subindo pela margem do Trancoso até outra ponte ligando novamente Portugal local em que se encontra o antigo Posto da Guarda Fiscal que controlava a passagem do contrabando. Daqui através de um antigo caminho regressamos ao centro de Cevide, onde houve tempo para uma conversa com um natural no interior da sua adega.

Já no regresso e em Monção na Taverna “Copita” fizemos  o habitual retemperar de energias.
Bonita jornada através de um belo percurso.

Miguel Moreira
Vianatrilhos

Dados do percurso

Informação sobre os aspetos mais significativos:

Data2022-09-17
Hora de início09:38
Hora do fim15:41
Tempo total do percurso6h 02m
Velocidade média deslocação3,7 km/h
Distância total linear12,0 km
Distância total12,7 km
Nº de participantes19

Esta atividade está no

114326169
Ruta do rio Gorgua