Material de Pedestrianismo

Mochila

É o objeto principal do caminhante, fazemos dela a menina dos nossos olhos, custando-nos mesmo, até empresta-la, mesmo quando já está velha. Um verdadeiro homem da natureza possui no mínimo duas.

Mochila Pequena - Destina-se a passeios curtos, perfeitas para transportarmos algum reforço alimentar, um agasalho para o frio, a máquina fotográfica, o mapa e o cantil.

Deve ser leve e resistente, possuir correias para ajusto, a sua capacidade não deve ultrapassar os 30 litros. É definitivamente a que mais usamos.

Mochila Grande - Destina-se a passeios de dois dias ou grandes caminhadas a sua capacidade varia entre os 30 litros e os 80 litros.

Estas mochilas permitem levar todo o tipo de material para todos os tipos de situações. O peso total de uma mochila cheia não deve ultrapassar os 12 kg caso opte por percursos de longa duração.

Calçado

O tipo de calçado escolhido tem de ser cómodo, pois os pés do caminheiro são o elemento básico a proteger, quer do frio quer da humidade.

Ao comprar as suas botas para caminhar não se esqueça de comprar um numero acima do que habitualmente usa. Ao usá-las deve calçar dois pares de meias umas grossa e umas finas, para evitar as bolhas nos pés.

Também convém fazer a compra do calçado durante a tarde já que os pés estão um pouco mais inchados do que de manhã.

Nunca mas nunca utilize calçado novo num passeio ou caminhada, faça sempre uma adaptação uns dias antes de qualquer

Sapatilhas Desportivas - Mais conhecidas por ténis, devem destinar-se a passeios em zonas secas e pouco acidentadas, caso contrario devem ter um bom desenho na sola para facilitar a aderência ao terreno e serem impermeáveis.

Botas de Trekking - Este tipo de calçado é o mais indicado para a pratica do Pedestrianismo, mais conhecido por passeios pedestres. As botas devem ser resistentes, impermeáveis e baste cómodas, geralmente são confecionadas em lona grossa ou pele contendo uma matéria conhecida por gore-tex (é um tecido sintético, microporoso e impermeável que permite a transpiração). Geralmente são indicadas para qualquer tipo de terreno.

Botas de Montanha - Geralmente este tipo de calçado é utilizado em alta montanha e só em condições extremas, pelo facto de caracterizarem-se pela grande dureza e rigidez da sola, tornando-se difícil a sua adaptação ás condições da prática do Pedestrianismo ou Trekkin, não esquecer que com este tipo de calçado, se não se fizer uma adaptação prolongada os seus pés serão alvo de ferimentos por atrito e as bolhas são inevitáveis.

Vestuário

Na escolha do vestuário, para a prática de passeios pedestres, há que ser prático, e ter em atenção, a comodidade, o peso, a proteção contra o frio, a humidade e o vento, quer no Verão quer no Inverno.

O Casaco - Ou anoraque, convém que seja uma peça isoladora, que proteja do vento e da chuva, que seja folgada para que proporcionem comodidade e permita boa liberdade de movimentos. Esta peça deve ter vários bolsos, quer no interior, quer no exterior de preferência com fechos de correr ou velcro para maior segurança.

As Calças - Devem ser folgadas para não nos prender os movimentos, devem ser resistentes, ultraleves e que deixe passar a expiração. Para condições muito frias opte por calças de tecido polar, ou mesmo calças de treino de algodão, que funcionam como um bom isolador térmico.

Os Polos - Conhecidos como a segunda camada são ideais, quer para o verão como para o inverno, de preferência devem ser de malha polar, em virtude de ser um bom isolamento térmico, ser muito leve e de terem uma manutenção pouco delicada.

Roupa Interior - As peças que estão em contacto com a pele convém que sejam de um material que não absorva a humidade, mas sim que a repele, como as fibras, embora as peças de algodão sejam muito confortáveis mas absorve a humidade e leva muito tempo a secar.

Hoje em dia pode optar pelos materiais técnicos, mais leves e transpiráveis, são caros mas uma boa mais-valia.

As meias - Deve calçar um par de meias de algodão fino e um par de lã grossa (de preferência sem calcanhar e sem costuras), para que o ar possa circular entre as botas e os seus pés, e assim evitar que se forme as características bolhas.

Só as meias de algodão não convém, pois encharcam facilmente e retêm a humidade. Com as meias húmidas, a pele amolece e permite que a fricção cause bolhas. 

As meias de lã são confortáveis, absorvem rapidamente o suor e expelem-no com mais facilidade do que o algodão e alguns outros tecidos. 

Luvas - O corpo em atividade gera calor que é conservado graças ao isolamento térmico do vestuário. Se não for adaptado, o corpo arrefece e a circulação sanguínea é reduzida ao nível das mãos a fim de manter o calor no núcleo central.

As luvas e o vestuário devem ser adaptados à utilização para manter as mãos confortáveis.  É preferível optar sempre por um par de luvas de caminhada um pouco maior do que mais pequeno.

O Chapéu - De preferência com pala ou aba para se proteger do sol, independentemente da sua cor, feitio ou estilo.

Se pensa em caminhar no frio, um chapéu impede que você perca muito calor corporal através da cabeça. Se pensa em caminhar em tempo quente, use um boné ou chapéu com aba para proteger seu rosto e pescoço do sol.

O Gorro - Para aqueles dias de muito frio, principalmente de lã.

Ainda que não faça muito frio deve levar sempre na mochila e alguma peça que nos proteja do frio no pescoço.

Em épocas frias - é pela cabeça que onde o corpo humano perde a maior parte do calor

Impermeável - Indispensável para dias de muita chuva.

Procure por casacos impermeáveis respiráveis se planeia enfrentar condições chuvosas. Estes são desenvolvidos para transportar o seu suor de dentro para fora, evitando simultaneamente que as gotas de chuva entrem.

Apesar de muitos úteis, esses impermeáveis tendem a ser caros, pelo que outra opção são as capas impermeáveis simples, mais leves e acessíveis, que também servem de corta-vento..

Alimentação

Deverá ser rica em calorias e bastante variada, correspondendo ao esforço efetuado, deve-se comer pouco e várias vezes, o suficiente para não nos sentirmos cheios, o que perturba a nossa caminhada.

Beber água sem termos sede e comer antes de Ter fraqueza, são regras básicas para quem pratica este tipo de atividade. 

Alimentação para um dia - Água suficiente para o dia, frutos secos, barras de produtos energéticos ou chocolates e algumas sanduíches.

Durante uma atividade, podendo ser de menor ou maior dificuldade sempre é importante a hidratação. Água em quantidade e qualidade é importante para nosso rendimento.

 Faça pausas estratégicas para a alimentação, respeite seus horários, pare à sombra, num lugar aprazível, descanse o que achar necessário após a refeição.

Alimentação para vários dias - Para alem dos produtos da região que podem ser adquiridos por locais onde passamos, desde o queijo, leite, carnes secas, enchidos, conservas, ovos e alguma fruta, podemos ainda recorrer a pratos cozinhados liofilizados (desidratados), estes alem de ocuparem pouco espaço, são leves, fáceis de preparar, basta juntar água a ferver e racionalizam melhor as nossa necessidades alimentares, não esquecendo a alimentação para um dia.

Nunca esqueça a água em quantidade e qualidade.

Orientação

O primeiro passo no sentido de uma orientação com êxito é saber ou determinar onde nos encontramos, durante um passeio pedestre, como tal devemos possuir algum material indispensável á sua realização, caso não possua-mos este material, poderemos optar por um guia que nos guie durante o decorrer deste.

Os Mapas - Existe uma grande variedade de mapas com escalas e finalidades distintas, sua escolha depende da finalidade e uso de que necessitamos. A finalidade de um mapa é a representação gráfica de uma extensão de terreno sobre um plano. Através dele sabemos onde estamos, de onde viemos e para onde vamos. Os mapas para a pratica do pedestrianismo ou caminhadas, são as cartas topográficas na escala 1/25000, estas cartas são editadas pelos Serviços Cartográficos do Exercito e Instituto Geográfico e Cadastral

Porta Mapas - São uma proteção para os mapas, evitado o gesto de sucessivamente dobrar e desdobrar, o que causa o maior desgaste destes, e ao preço a que estão é melhor protege-los.

A Bússola - É um importante instrumento que serve para determinar e medir direções e ângulos. Apresenta-se sob diferentes formas e estilos, desde simples modelos, como uma simples caixinha com uma agulha magnética suspensa livremente pelo centro de gravidade indicando o norte, caso não haja um campo magnético por perto.

O Altímetro - É um instrumento para determinar a altitude em que nos encontramos em relação ao nível das águas do mar.

GPS - GPS é a sigla de Global Positioning System é um sistema desenvolvido pelo exército americano para a obtenção de coordenadas por meio de satélites. É um instrumento, que por triangulação entre os satélites disponíveis, pode dar com grande exatidão a sua localização.

O Pedómetro - É um instrumento para determinar a distancia percorrida (mais conhecido por contador de passos)

Os binóculos - Devem ser bastante luminosos e leves, podem ser muito úteis quando se pretende encontrar um carreiro, um refúgio ao longe ou observar a fauna e a flora

Segurança

Para este tipo de atividade de contacto com a natureza é imprescindível possuirmos no mínimo algum material de segurança, pois muitas das vezes estamos longe da civilização e os meios de auxílio podem demorar a chegar, como diz o ditado do povo "quem vai para o mar avia se em terra" ou "mais vale prevenir, que remediar"...

O Estojo de Primeiros Socorros - Um pequeno estojo estanque, que contenha algum material de farmácia, tais como; algumas ligaduras, compressas esterilizadas, anti-séticos, pensos rápidos, aspirinas, adesivos, tesoura, garrote, luvas esterilizadas e uma embalem de bálsamo.

O Estojo de Sobrevivência - Deve conter o seguinte material; uma cobertura de sobrevivência, um saco de plástico, um fio de nylon com 15m, um metro de fio de cobre, uma agulha e fio de sapateiro, fósforos impermeáveis, canivete suíço, alimentos energéticos em barra, pastilhas de glucose, comprimidos para purificar a água, bússola, e o respetivo estojo de primeiros socorros.

O Bastão - Também conhecido por bengala permite simultaneamente, melhorar o equilíbrio em terreno acidentado e tornar a caminhada mais eficaz. O bastão também pode ser útil para nos prevenir-mos contra a agressividade de cães. Caminhar com um bastão permite ritmar o passo.

O Espelho - Faz parte do equipamento de sobrevivência.  Espelho de sinalização (ou heliográfico) usado para refletir a luz solar ou um feixe de holofote para as equipes de resgate para identificar a sua posição. Embora aparentemente simples, é um erro subestimar a funcionalidade e eficácia deste dispositivo para atrair a atenção.

O Apito - Faz parte do equipamento de sobrevivência. Em situações de emergência o apito pode ser utilizado para chamar a atenção da equipe de resgate ou do grupo de pessoas que estão no grupo.