Grande Rota

Percursos Pedestres - Grande Rota

Designam-se pelas letras GR (grande rota) seguido do número de registo podendo, também, ter denominação.

São percursos que percorrem grandes distâncias que requerem mais de um dia de jornada, isto é, o pedestrianista terá que pernoitar durante a sua marcha.

São percursos de ligação entre regiões que decorrem, normalmente, por caminhos tradicionais e históricos, às vezes servindo de "espinha dorsal" a redes de PRs, em alguns casos fazendo a ligação entre países; alguns GRs fazem o atravessamento do Europa de lés-a-lés: quando assim é são designados pela letra E (Europa) e pelo número de registo europeu.

É o caso do GR11-E9 com a denominação em território português de "Caminho de Santiago".

Este percurso pedestre inicia-se em S.Petersburgo, na Rússia, contorna a Europa pela costa norte, passa pela Corunha e por Santiago de Compostela, entra em Portugal por Valença e termina no Cabo de S.Vicente após conclusão do sua implantação.

Assim, GR significa grande rota, seguindo-se o 11, número de registo nacional, depois o E de Europeu e o 9, número de registo respectivo.

A denominação de "Caminho de Santiago" deve-se ao facto de ser o único percurso pedestre trans-europeu que, terminando em Portugal, passa por Santiago de Compostela, e por na medida do possível, os seus obreiros o fazerem coincidir com o principal itinerário medieval de Santiago.

 

Caminho Certo

A colocar à entrada dos caminhos e ao longo de todo o percurso, dando-lhe continuidade e sentido.

É constituído por duas barras horizontais paralelas, distando entre si 1 cm, ficando a de cor amarela na parte superior. Cada uma das barras não deve ultrapassar os 12 cm de comprimento e os 3 de largura.

Caminho errado

A colocar à entrada dos caminhos, que não façam parte do percurso.

De dimensões iguais às da marca anterior; o vermelho fica por cima do amarelo cruzando-o na diagonal, do canto superior direito para o canto inferior esquerdo, formando ângulos retos.

Mudança de direção

A colocar nos cruzamentos e entroncamentos imediatamente antes da mudança de rumo.

De dimensões semelhantes às anteriores, a ponta em flecha indica a nova direção a seguir. A barra vertical forma um ângulo reto com a barra horizontal, tendo as mesmas dimensões.

Todos os percursos pedestres trans-europeus que chegam ou terminam em Portugal fazem o atravessamento da Europa marcados a vermelho e branco.

Em Espanha os GR também são marcados de vermelho e branco.

Assim é de todo o interesse que, cada vez mais, nos encaminhemos para a uniformização de cores e procedimentos, pelo que, definitivamente, e de acordo com o estabelecido já anteriormente, os GRs - transeuropeus, transfronteiriços ou nacionais - em Portugal serão sempre marcados a vermelho e branco.

Além do branco, cuja referência não é de todo relevante, o vermelho, à semelhança dos PRs, é o "vermelho sinal".