2020-03-07/08 Escapadela a Piódão

Designação

Escapadela a Piódão

Data

2020-03-07 a 2020-03-08

Nº Participantes

48

Hora e local de saída:

007:00 no Café Vitral (rotunda dos Capitães de Abril)

Notas:

Esta deslocação a Piódão contemplou:

    • Viagem até Benfeita
    • Percurso Pedestre Benfeita - Pardieiros - Fraga da Pena
    • Visita guiada ao Centro de Interpretação da Mata da Margaraça
    • Jantar e dormida na pousada de Piódão
    • Percurso Pedestre Piódão - Chã D`Égua - Foz D´Égua
    • Visita ao castelo da Lousã e complexo natural e paisagístico da Srª da Piedade
    • Regresso com jantar final em Miranda do Corvo

Coube ao Pimenta e Miguel todo o planeamento e organização desta saída da Vianatrilhos - Grupo de Montanhismo de Viana do Castelo às aldeias de xisto da serra do Açor.

Saímos de Viana do Castelo à hora marcada e depois de apanhar os participantes da invicta cidade rumamos à serra de Açor, onde estava prevista a realização de dois percursos pedestres.

Com os costumeiros atrasos, chegamos a Benfeita às 11:00, o que desde logo inviabilizou a realização integral do percurso previsto, que nos levaria às aldeias de Pardal, Pardieiros, passando pela cascata da Fraga da Pena.

Depois de alguma hesitação combinou-se fazer o percurso em sentido contrário ao planeado, percorrendo apenas o troço entre Benfeita e Pardieiros, acabando pouco depois na Fraga da Pena, onde se nos juntariam os companheiros que preferissem ficar pela aldeia.

Chegamos ao largo Leonardo Gonçalves Matias às 11:15 onde demos uma vista de olhos olhos à feirinha mensal, que se realiza no 1º sábado de cada mês e onde marcavam presença diversos estrangeiros, pertencentes a uma colónia que se radicou nas proximidades e que vendem diversos produtos alimentares e artesanato.

Benfeita é uma das "aldeias brancas" da Rede das Aldeias do Xisto e tem como destaque a Torre da Paz, especialmente construída para celebrar o términus da II Guerra Mundial, tocando o seu sino.Foi o que sucedeu às 14h do dia 07 de Maio de 1945. Desde aí todos os 7 de maio, o fim da II Grande Guerra é assinalado com 1 620 badaladas do sino da torre.

Foi nesse encontro da ribeira do Carcavão com a ribeira da Mata que nos separamos, seguindo os mais afoitos para o percurso matinal acordado, ficando os mais dados ao descanso a apreciar a feirinha e a desfrutar do sossego da aldeia.

 Pode ver aquí a descrição do percurso.de sábado.

O ponto de encontro para o almoço foi no parque de merendas da Fraga da Pena onde montamos arraiais e partilhamos os farnéis, com muito tempo para a conversa e descanso.

A Cascata da Fraga da Pena é um local de grande beleza paisagística sendo considerada uma das maiores mais valias entre os recursos naturais da paisagem protegida da Serra do Açor.

Deixamos a Fraga da Pena cerca das 15:00 e dirigimo-nos ao Centro Interpretativo da Mata da Magaraça instalado na Casa Grande, onde pudemos observar um pequeno núcleo museológico que ilustra o quotidiano das gentes destas aldeias. Depois guiados pelo guarda do Parque realizamos um pequeno mas interessante percurso através da Mata, que nos conduziu até à Casa da Eira para observar essencialmente  a riqueza arvórea, que é uma relíquia da floresta de vegetação primitiva existente nas encostas xistosas do centro do país.

Abalamos da Mata da Magaraça pelas 16:30 e seguimos para Piódão, com a sonoplastia a cargo do Abreu, que nos presenteou com uma variada seleção de temas, que nos manteve acordados até à pousada da Inatel, onde chegamos pelas 17:50, seguindo-se tempo livre até à hora do jantar buffet, servido no restaurante da pousada.

Depois do jantar houve ainda tempo para descemos até Piódão pelo caminho da capela da Srª do Bom Parto e dar um volta pelo largo da igreja Matriz e ruelas da aldeia, antes de regressar à pousada par uma boa noite de descanso.

No dia seguinte os que não se aventuraram a fazer o percurso previsto para esse domingo desceram até Piódão e acabaram por não ir a Chãs d' Égua, preferindo ficar na aldeia.

 Pode ver aquí a descrição do percurso de domingo.

Piódão para além da sua genuinidade serrana, teve grande relevância por ser ponto de passagem da Estrada Real que atravessa a Serra do Açor, ligando durante séculos Coimbra à Covilhã. Por lá circulavam caravanas de carros de bois, que transportavam da Beira Litoral o peixe e o sal, para levarem no regresso a carne, o queijo e os lanifícios.

Com o passar dos séculos, esta via caiu em desuso, permanecendo as lendas que referem a zona do Piódão como o sítio ideal para os foras da lei e proscritos, que se dedicavam a assaltar as caravanas dos comerciantes. Reza a lenda que um deles terá sido um dos assassinos de Inês de Castro, que por aqui se refugiou e deixou descendentes.

Deixamos Piódão cerca das 15:30 e seguimos para Lousã, onde visitamos o castelo da Lousã (também referido como Castelo de Arouce) datado de 1080, a curiosa ermida de Nossa Senhora da Piedade e a Praia Fluvial da Senhora da Piedade.

Diz-se que o Castelo de Arouce terá sido mandado construir pelo rei de Conímbriga, de nome Arunce. Foi aqui que, perante uma invasão de Conímbriga pelo príncipe Lausus, que o rei mandou escondeu sua filha Peralta e todas as suas riquezas. No entanto a princesa Peralta e o príncipe Lausus ficaram perdidamente apaixonados e o príncipe percorreu toda a encosta serrana em busca da sua amada. O rei ao saber das intenções do seu inimigo, resolveu ir ao seu encontro, deixando Peralta, bem como as suas riquezas fechadas no Castelo. Mas a batalha foi  fatal, tanto para o rei Arunce como para o príncipe Lausus e como ninguém sabia onde estava a princesa, diz a lenda que ainda hoje, de vez em quando, se ouve o soluçar apaixonado da jovem Peralta, que aguarda pelo seu amado. Segundo dizem o nome da Lousã terá a sua origem no nome do príncipe Lausus.

Acabamos o dia em Miranda do Corvo no Hotel Parque Serra Da Lousã, onde o  Museu da Chafana nos serviu uma sopa de casamento seguida de bacalhau lascado e a típica chanfana. Tivemos o azar de o nosso serviço coincidir com o dia internacional da mulher, o que atrasou consideravelmente o serviço, pelo que o regresso a Viana acabou por ser muito para além da hora prevista.

Os nossos agradecimentos aos organizadores Pimenta e Miguel, que tudo fizeram para valorizar esta nossa excelente Escapadela a Piódão.

 

Escapadela a Piódão

Benfeita - Pardieiros - Fraga da Pena
Dia I - 2020-03-07
Piódão - Chã D`Égua - Foz D`Égua
Dia II - 2020-03-08
Programa detalhado