2019-07-06 da foz do Lima à foz do Neiva

Esta foi a última actividade da época, pois que se aproxima o tempo quente e flagelo dos fogos no monte, e a vontade de rumar à beira-mar. Tempo de férias.

Desta vez escolhemos um percurso próprio da época, um pouco diferente do habitual, mas nem por isso com falta de interesse, bem pelo contrário, pois que ao longo do trajecto vários foram os locais e motivos de interesse e com história.

Feito o habitual posicionamento das viaturas, pois que o trajecto era linear, começamos a caminhar junto da rotunda do Cais Novo, á entrada da ponte metálica, local onde está colocado um monumento homenageando os pescadores de Darque e a pesca da lampreia.
Passando sobre a antiga Estrada Real, dirigimo-nos à capela de S. Lourenço, local em que ao longo dos tempos se fazia a passagem do rio, primeiro através da “Barca do Concelho”, mais tarde sobre a Ponte de Madeira e nos dias de hoje através da actual Ponte metálica.

Avançando através da ecovia, passamos pelo Porto de mar e junto a um dos antigos “Fornos da Cal”, segundo informação propriedade privada e á venda. Aqui se faz um alerta para que a autarquia não deixe cair o mesmo nas mãos de alguém que o deixe destruir talvez para construção de mais algum edifício. Salve-se o património e a sua história, que será a herança a deixar para futuro.

Os Fornos de Cal tiveram o seu tempo, e só com a construção do novo porto de mar e com a vinda do caminho de ferro se deu o seu declínio.

Na praia do Cabedelo foi feito o reagrupamento, continuando entre as dunas e os parques de campismo do Orbitur e do Inatel, até se atingir a foz da ribeira de Anha, local de um dos doze Goesitos do concelho de Viana em fase de classificação, com Pias Salineiras pré-romanas e Marmitas. Continuando sobre o traçado da Ecovia do litoral Norte chegamos á praia do Rodanho, local de “má fama”, mas muito utilizada pelos praticantes de Surf. Avançamos novamente entre o cordão dunar e a mata de pinhal muito característica da beira-mar, por vezes entre verdadeiros tuneis, até chegar à Praia da Amorosa onde se fez novo reagrupamento e houve tempo para uma bebida na esplanada de um bar local.

Agora o próximo destino era o Portinho de Pesca do Castelo de Neiva. Após breve conferência e porque a maré estava ainda em baixo, resolvemos fazer esse trajecto ao longo da praia e pela beira do mar, oportunidade para alguns molharem os pés.
Chegados ao Portinho, podemos apreciar as obras de requalificação do mesmo, e continuamos até à foz do rio Neiva onde se tirou a foto de grupo e houve oportunidade para apreciar o encontro do rio com o mar, desse rio cujas margens já por nós percorridas inúmeras vezes ao longo do seu trajecto, desde a sua nascente na serra do Oural, passando por várias freguesia dos concelhos de Barcelos, Ponte de Lima e Viana do Castelo.

O final estava mais próximo, e por entre campos de cultivo, subimos ladeando o rio, para um pouco mais acima cruzar o mesmo através da bonita ponte da Ecovia do Litoral Norte, recentemente construída, local escolhido para registo de nova foto de grupo e apreciação da sua envolvência.

Foi feito o resto do percurso junto ao rio até chegarmos ao adro da capela de Sta. Tecla, final deste percurso, já em terras de Antas/Esposende.

Aqui já companheiros/as nos esperavam junto ás viaturas, com as malas repletas com os farnéis, prontamente colocados em duas mesas bem próximo do rio.

Depois foi tempo de convívio, degustando os saborosos manjares, bem regados, tendo-se prologado um pouco tarde dentro, alegre e divertido como se quer que seja.

Quando se entendeu que era hora, arrumou-se o que restava nas ceiras e arcas, fez-se a limpeza do local e fizeram-se as despedidas com votos de Boas Férias, esperando que lá para Setembro haja mais.

Para alguns tempo houve ainda, para mais abaixo na esplanada da Associação de Defesa do rio Neiva se tomar um refresco, e um pouco mais para o final da tarde, admirar as águas do rio Neiva correndo em direcção ao mar.

Miguel Moreira
Vianatrilhos

Cronologia dos locais de passagem:

Rio Lima - Nasce nos montes Talariño e Espanha na província de Ourense a 975 m. de altitude, percorrendo 45 km em Espanha do total de 135 km de extensão.
Tem associada a Lenda do Lethes rio do Esquecimento.

Darque - A primeira referência conhecida a Darque, data de 985. Nas inquirições afonsinas, entre 1220 e 1258 é citada sob a designação de “De Sancta Maria de Arenis” localizando-se em Terras de Neiva. Em termos administrativos pertenceu em 1839 à comarca e concelho de Barcelos e em 1852 à comarca de Viana do Castelo. Foi elevada a Vila em 3 de julho de 1986.

Cais Novo - Povoação da Vila de Darque, provém de um cais construído em 1643 e para o qual a edilidade cobrava desde 1631 finta nos concelhos de Barcelos, Braga e Guimarães destinada à construção do Cais de S. Lourenço.

Via Secundária romana e Estrada Real - Estrada que entra em Darque pelo alto de Faro, e desce até ao Cais de S. Lourenço.

Capela de S. Lourenço - Local aonde vinha dar a Estrada Real, para fazer a travessia do rio. Não se conhece a sua cronologia.

Em Maio de 1982, no decorrer de obras de reconstrução, foi encontrada uma ara romana bem como tégulas, restos de colunas e pedras almofadadas, que se encontram no convento de S. Domingos.

Barca do Concelho - Ligava a passagem do rio entre a capela de S. Lourenço e o cais em Viana, á Praça do Príncipe, levando pessoas e bens assim como liteiras e animais.

Ponte de Madeira - Cronologia:

  • 1807/1818 (inv. Francesas) tempo de indecisões.
  • 1817 - inicia-se a sua construção
  • 1819 - Inaugurada a Ponte
  • 08/05/1852 - recepção junto á ponte a D. Maria II que vem a Viana
  • 11/03/1864 - Uma diligência descontrolada cai da ponte e morrem 4 pessoas.
  • 19/02/1878 - Com um forte temporal fica a ponte inutilizada.
  • Fev./1880 - É demolida a ponte
  • Ponte metálica - Construída entre 1877/1878

    Marachão de S. Lourenço - começou a ser pensado em 1549, mas só em 1561 se construiu. Serviu para “apressar” as águas do rio, para tirar as areias.

    Porto de Mar - Ao longo do tempo foi sofrendo várias alterações, estando prevista em breve a sua ligação à A28, ponto muito importante no seu desenvolvimento.

    Fornos da cal - Começaram a funcionar em 1910, coincidindo depois o seu abandono com a expansão do caminho de ferro.

    O material vinha da Figueira da Foz, Setúbal, Portimão etc. Por barco até à embocadura do rio. Depois conforme a localização dos fornos era transportado em barcas ou carros de bois.

    Câmara cilíndrica com cerca de 2,5 metros de diâmetro.

    Cada fornada demorava entre 4 e 5 dias a processar-se, sendo 3 dias para cozimento e o restante para arrefecimento (+ de 1000º).

    A descarga fazia-se sempre pela porta, destruindo a abóbada.

    Foz do rio Lima - Foi sofrendo várias alterações ao longo dos anos:

  • 1531 - A Câmara manda fazer 2 sinais de entrada da barra para não se perderem mais navios.
  • 1538 - Mandado fazer à entrada da barra, na margem direita um forte paredão.
  • 1548 - Foram erguidos mais 2 sinais de entrada da barra devido aos imensos penedos existentes na entrada.
  • 1549 - Começou-se a pensar em levantar o Marachão de S. Lourenço.
  • 1561 - Chegou a Viana a “provisão” para erguer o Marachão, e começou a sua construção. Passados 10 anos as verbas esgotaram-se e sucederam-se vários episódios.
  • 1578 - Os carreteiros recusaram-se a transportar a pedra das pedreiras de Afife ao preço de 14 rs/carreto.
  • 1580 - A obra foi concluída.
  • Praia do Cabedelo - em 1940 era um local ermo. O “Casino” que nunca foi, funcionou em 1942 como restaurante chamado Gaivota.

    Parques de Campismo - INATEL e ORBITUR

    Cordão dunar e Pinhal - Vegetação própria da sua localização

    Foz da ribeira de Anha - Monumento Natural Ribeira de Anha, 1 dos 12 Goesitos (Pias salineiras pré-romanas e Marmita)

    Praia do Rodanho - Importante local de desportos de mar.

    Ribeira de Anha - Muito importante no contexto de rega dos campos em redor

    Praia da Amorosa - local em franco desenvolvimento, nem sempre em harmonia com o desejado, mas local muito frequentado pelas gentes mais afastadas do mar.

    Praia do Castelo de Neiva - E seu portinho de pesca (Castelo de Neiva inquirições de 1220)

    Ponte pedonal sobre o rio Neiva - Ecovia do litoral Norte

    Rio Neiva - Nasce na serra do Oural e tem 45 km.

    Capela de Sta Tecla (Sta Luzia e Sta Barbara) - Festa em 2,3 e 4 de setembro. É a mais antiga da freguesia e não se sabe a data, sabendo-se apenas que em 1220 já existia mencionada nas inquirições de D. Afonso II e D. Afonso III. Tem uma lenda de Sta Tecla.

    Dados do percurso

    Informação sobre os aspetos mais significativos:

    Data2019-07-06
    Hora de início08:21
    Hora do fim12:41
    Tempo total do percurso4h 20m
    Velocidade média deslocação3,9 km/h
    Distância total linear14 km
    Distância total14,1 km
    Nº de participantes29