2019-03-30 Passadiços do Paiva

Começamos do lado de Espiunca, subindo o rio Paiva pela sua margem esquerda. A manhã estava ainda fresca mas o dia já bem aberto, pelo que após o agrupamento iniciamos o percurso pelas 10:00.

Parecia uma prova de velocidade! Quem ia na vanguarda imprimiu um ritmo alto, demasiado alto para um percurso tão encantador como este, quase não permitindo uma paragem para apreciar a paisagem e obter uma foto em condições.

Face ao ritmo imposto, a coluna dos participantes alongou-se muito, já que havia muito que apreciar nesta zona e algumas derivações para observar o rio. O inevitável reagrupamento surgiu mais á frente, já nas imediações da praia do Vau, onde um todo equipado grupo se preparava para a descida de “rafting” do Paiva. A pausa serviu para meter qualquer coisa à boca e beber um cafezinho, que o Cocas e esposa gentilmente cederam aos interessados.

Logo a seguir nova paragem, na ponte pedonal suspensa sobre o rio Paiva, local propício para mais umas fotos e brincadeiras. O sol entretanto ia subindo cada vez mais e o calor começava a fazer-se sentir, pelo que a ascensão do Paiva passou a ser mais custosa rematando com a longa subida do escadório frontal às cascatas das Aguieiras.

Depois da subida… foi descida do escadório para a ponte de Alvarenga retomando a margem do Paiva na direção da praia do Areinho. Se até aqui tudo tinha corrido pelo melhor, aconteceu neste troço uma inesperada queda, felizmente sem consequências, mas que nos recordou que mesmo nos locais mais inesperados o acidente pode sempre acontecer.

Chegados ao Areinho havia ainda que subir para o autocarro, pelo que foi necessário trepar a bom trepar, debaixo de um forte calor, o pedregoso acesso ao parque de estacionamento.

Quanto a mim a escolha do sentido Espiunca - Areinho não foi a mais acertada, pois deixou a zona da escadaria – local de maior dificuldade do percurso, para o fim da manhã e ainda por cima acrescentou a subida final da praia do Areinho até ao parque de estacionamento, já que a camioneta não desce até à praia fluvial.

Se a escolha tivesse ocorrido no sentido contrário, a dificuldade das escadarias seria menor e feita numa hora matinal muito mais favorável, tendo depois a camioneta fácil acesso à praia fluvial de Espiunca. Por outro lado o percurso seria a descer o Paiva com o sol pelas costas, o que em termos de conforto visual e obtenção de fotos seria muito mais favorável.

Foi pois um inglório esforço suplementar o de ter o sol de frente toda a manhã e depois rematar este belo percurso pelos “Passadiços do Paiva” com uma ingreme e sufocante subida, totalmente desinteressante e desnecessária.

O almoço foi no "Pedestre 142” em Arouca, onde a encomendada Posta e Vitela Assada retemperaram as forças dos famintos participantes, que depois rumaram ao Mosteiro de Santa Maria de Arouca, para uma interessante e demorada visita.

 

 

José Almeida

Vianatrilhos

Dados do percurso

Informação sobre os aspetos mais significativos:

Data2019-03-30
Hora de início10:05
Hora do fim13:21
Tempo total do percurso3h 16m
Velocidade média deslocação3,4 km/h
Distância total linear9,5 km
Distância total9,6 km
Nº de participantes44