2018-11-17 Pelas encostas de Outeiro

Marcha de S. Martinho

Outeiro - Perre - Nogueira - Amonde

Desta vez começamos entre as serras de Perre e Santa Luzia, lugar de Além do Rio, freguesia de Outeiro, no vale do ribeiro de Carvalheiras, que mais abaixo toma o nome de ribeiro Outeiro – Portuzelo.

A concentração foi junto do parque de merendas da minúscula capela de Santa Quitéria, agora decorada por tons outonais, em que os amarelos e vermelhos da folhagem trazem uma nota de alegria ao pardo e nebulado dia outonal que tivemos pela frente.

Iniciamos a subida da serra de Perre por trás da capelinha da santa, advogada dos mordidos das coisas danadas e das tristezas do coração, na direção dos cabeços gémeos conhecidos pelos nomes de Alto do Fomigoso e Alto da Vigia, onde se encontram vestígios dispersos de um castro defensivo, ou posto de observação avançado do castro cercano de S. Martinho, em Nogueira.

Não fomos lá cima, mas fizemos um breve paragem para apreciar o vale de Outeiro, desde norte, com a estreita Portela de Outeiro e seus socalcos duramente conquistados, até às férteis e extensas terras de Perre e Santa Marta, mais a sul, já na confluência com o amplo vale do Lima.

Continuamos a subir circundando a leste a Fraga da Pinta, por um trilho há muito abandonado, que nos obrigou a desbravar mato para conseguir regressar ao estradão principal que circunda o Alto da Bouça das Freiras para norte, na direção da Serra de Amonde.

Voltar à "IP5" era uma meta que me andava na ideia há já uns tempos, mas que por esta ou aquela razão foi ficando para trás, até que chegou finalmente o dia de rever a cumeeira da serra de Amonde, com vastas vistas para o vale do rio Âncora e para o vale de Outeiro.

Uma enorme reta no alto do monte não é comum e proporciona uma paisagem circundante que engloba a serras de Perre, vale do Outeiro, serra de Santa Luzia, Vila Paria de Âncora a espreitar junto ao mar, a majestosa Serra d’Arga, e o vale do rio Âncora mais abaixo.

Depois de cruzar a cumeeira descemos para Valadares, último lugar de Outeiro, onde fizemos a prevista pausa de almoço e teve lugar a tradicional cerimónia de batismo de mais 3 novos companheiros, que tiveram a honra de passar a pertencer à elite dos Caminheiros da Vianatrilhos. Desta vez os eleitos foram a Alda Maraças, José Paulo Oliveira e José Parente que, apadrinhados pelos caminheiros seniores, solenemente integraram esta equipa.

Refeitos do almoço, cantadas as ladainhas batismais e bebida a água benta, cruzamos os campos agrícolas de Valadares e voltamos a embrenhar-nos na densa mancha florestal, contornando o Alto da Cova da Raposa e passando depois a corta-mato entre esta e o Alto do Bazeiro, para mais a baixo atingir o estradão florestal, que seguimos para regressar à confluência nos contrafortes da Fraga da Pinta.

Este troço de estradão tem uma paisagem especialmente bela, pois dá uma clara dimensão do extenso vale de Outeiro, com a serra de Santa Luzia de um lado, a serra de Perre do outro e com o vale do Lima e os suaves tons prateados do oceano ao fundo.

Pena que o tempo não tivesse ajudado a clarear e limpar a ténue neblina que toldava o horizonte neste fim de tarde, mas as tonalidades outonais, o silêncio da serra aguçavam-nos os sentidos. Estamos em plena serra!

Feita uma prolongada paragem para reagrupar e descansar as pernas, iniciamos a descida para Além do Rio, até regressar ao parque de merendas, onde fizemos um curto compasso de espera, antes de ir para o Café do Paço.

Aí o companheiro Rocha tinha marcado um lanche ajantarado de anho assado, com as castanhas a rematar, já que ainda estamos no S. Martinho, e no S. Martinho… Castanhas e Vinho.

Foi bom e o “Cocas” merece louvor, pois tratou de tudo com afinco e dedicação.

Até à caminhada de Natal

 

José Almeida
Vianatrilhos

Dados do percurso

Informação sobre os aspetos mais significativos:

Data 2018-11-17
Hora de início 08:58
Hora do fim 15:40
Tempo total do percurso 6h 42m
Velocidade média deslocação 3.55 km/h
Distância total linear 15.7 km
Distância total 15.9 km
Nº de participantes 32