2016-11-19 Varandas do Coura

Paredes de Coura

 

Como havia que celebrar o S. Martinho, Paredes de Coura - Paisagem Protegida do Corno de Bico, pareceu-nos o local ideal para apreciar seus belos castanheiros, agora matizados pelos tons de Outono, e também para fazer o tradicional  "magusto" do grupo Vianatrilhos.

O percurso escolhido foi o da Varanda do Coura, de que junto descrição, com a passagem inicial pelos miradouros do Penedo do Rebolinho e da Chã do Vento.

A manhã esteve enevoada, mas sem chuva, o que nos proporcionou um belo passeio pelas matas e campos agrícolas de Chavião, Vilares, Veiga, Vencemal e Gaviães, mas ao regressar a Chavião o “verão de São Martinho” acabou e começou a pingar . Desta vez tivemos a sorte do nosso lado, pois desde então a chuva foi engrossando cada vez mais e a tarde foi fria e molhada. 

Mas para nós o dia estava arrumado e rumamos a Cepões para o Restaurante Carneiro, onde com muita animação e convívio cumprimos a tradição de “no dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”.

 

José Almeida
Vianatrilhos

Descrição do Percuso

Partindo da capela erguida sobre o lugar de Chavião, começamos a subir por um caminho empedrado que dará lugar a um caminho de terra. Pouco a pouco, a paisagem rural, com os campos de cultivo em redor do lugar é substituída por áreas de matos que vão dando espaço ao bosque de folhosas que caracteriza a Paisagem Protegida do Corno de Bico.

O caminho terreo, em alguns troços, empedrado, leva-nos numa subida, quase imperceptível, até ao estradão florestal. Deste percurso, cerca de 2.500 metros coincidem com o Trilho dos Miradouros.

À medida que vamos tomando altitude, impressionamo-nos com as majestosas paisagens ao redor, destacando-se ao longe, para sudoeste, a Serra d’Arga, para sudeste o Monte do Bom Jesus, em Braga, a nascente as Serras da Peneda e Soajo e a norte as montanhas da Galiza. Muito mais próximo, avista-se o belo território concelhio de Paredes de Coura, dividido e moldado pelo serpenteante Rio Coura, cujos afluentes vão esculpindo o território e regando os vastos campos férteis que, desta imaginária varanda natural, se nos apresentam em socalcos, num quadro rural de singular beleza, que outrora proporcionavam a toda a região abundância de cereais. Daí, a denominação de Celeiro do Minho.

Passado o miradouro do Alto de Riomao, que merece paragem obrigatória, seguimos caminho para contornarmos uma represa e começarmos a descer. Pouco tempo depois alcançaremos o lugar de Vilares, da freguesia de Bico e por entre campos de cultivo, chegaremos ao lugar de Seara. Daqui, vol tamos a descer até ao caminho que desemboca na estrada.

Viramos à esquerda, subindo até alcançarmos o lugar de Vencemal e em seguida o lugar de Gaviães, que parece ficar “pendurado” nos inúmeros socalcos. Neste lugar, iniciamos a descida por um belo caminho empedrado que nos conduzirá ao fundo da Ribeira de Cavaleiros. Continuando por entre os campos, voltamos a subir até alcançarmos outro caminho empedrado que nos levará ao lugar do Espadanal, conclave, pertencente à freguesia de Cristelo.

Depois de atravessarmos um rústico casario chegamos ao local onde teve início este belo percurso por Terras de Coyra.

 

www.paredesdecoura.pt

Dados do percurso

Informação sobre os aspetos mais significativos:

Data 2016-11-19
Hora de início 09:31
Hora do fim 14:01
Tempo total do percurso 4h 30m
Velocidade média 4.6 km/h
Distância total linear 13.9 km
Distância total 14.2 km
Nº de participantes 27